Artigo anterior
Próximo artigo
Due Diligence: O que é isso e para que serve?

Due Diligence: O que é isso e para que serve?

1/3/2023

-

7 min

Conhecer em detalhes a situação financeira de uma empresa é essencial, especialmente quando se trata de movimentos estratégicos, tais como aquisições ou fusões, entre outros. Portanto, neste artigo gostaríamos de falar com você sobre a devida diligência, o que é este conceito e por que é importante para as empresas.

O que é a devida diligência e para que ela serve?

Due Diligence, ou "Diligência devida", são os procedimentos aplicados para evitar riscos de terceiros, em um sentido amplo. 

A este respeito, a ISO 37001 define a Due Diligence como: "o processo de avaliação mais detalhada da natureza e extensão do risco de suborno, e de assistência às organizações na tomada de decisões relativas a transações específicas, projetos, atividades, parceiros comerciais e pessoal"

Entretanto, na prática comercial comum, o termo Due Diligence é usado em processos de M&A, ou seja, antes, durante e depois de aquisições, transformações, fusões, cisões e similares.

O que isso traz aos negócios?

A Due Diligence ajuda potenciais parceiros comerciais a evitar surpresas desagradáveis ao investir em negócios de longo prazo, tais como: balanços falsos, passivos trabalhistas não declarados, ativos inexistentes, contratos com defeitos ocultos, processos judiciais não declarados de terceiros, evasão fiscal, entre outros.

José Ignacio Lobaiza, em seu livro "Auditoria Legal e de Compliance", afirma que "a auditoria legal de due diligence verifica o histórico e o patrimônio de uma empresa comercial, aplicando um procedimento que abrange a análise dos aspectos administrativos, financeiros, contábeis e jurídicos; a análise de documentos corporativos, contratos e processos judiciais; com o objetivo de permitir ao adquirente saber antecipadamente o que está adquirindo e quanto realmente vale, permitindo a detecção preventiva de riscos fiscais, financeiros e trabalhistas, entre outros".

Quem realiza a devida diligência?

Portanto, é possível verificar que a Due Diligence é um tipo de procedimento de conformidade, que envolve múltiplos atores, desde advogados, contadores, auditores e até engenheiros, por exemplo, no caso de Due Diligence ambiental.

Tipos de Due Diligence

Vários tipos principais de Due Diligence podem ser identificados, que devem ser realizados em qualquer procedimento de M&A, por exemplo, legal, financeiro, tributário e trabalhista. Para cada um deles, devem ser aplicados procedimentos específicos, por exemplo

Due diligence legal

A auditoria jurídica abrange, por exemplo, o procedimento de análise da documentação corporativa (por exemplo, contratos corporativos, contratos com clientes e fornecedores), e os procedimentos administrativos e judiciais em andamento, entre outros.  

Diligências trabalhistas

A due diligence trabalhista pode se concentrar principalmente na análise dos contratos de trabalho, documentação dos arquivos dos empregados, casos de acidentes de trabalho, processos trabalhistas, análise do organograma, rotatividade dos empregados, custos salariais, entre outros.

Due diligence financeira e fiscal

A due diligence financeira e fiscal é realizada por especialistas que analisam livros contábeis, demonstrações contábeis e financeiras, projeções de receitas e despesas, planos de negócios, planejamento tributário, citações de autoridades fiscais, processos de execução fiscal, entre outros.

Como fazer a devida diligência?

O procedimento completo de due diligence é um longo processo que consiste em três etapas: pré-contratual, contratual e pós-contratual .

Enquanto a maioria das empresas de contabilidade oferece o serviço na fase pré-contratual e contratual, também é essencial acompanhar os procedimentos administrativos e judiciais que foram iniciados antes do procedimento de fusões e aquisições. 

Neste sentido, Azahara Cots, em Compliance Sin Fronteras, comenta que: "Os procedimentos de due diligence dentro das empresas tornaram-se um fator vital de prevenção para o correto funcionamento das empresas, a detecção de situações de risco, desde que sejam baseados em avaliação e monitoramento periódicos. Da mesma forma, esta revisão exaustiva nos processos de fusões e aquisições é especialmente relevante, que não são mais focalizados apenas em áreas estritamente comerciais, mas também na aquisição de riscos criminais, uma vez que a responsabilidade criminal se tornou uma questão "herdada" uma vez que a transação principal foi realizada".

Quanto tempo leva o processo de due diligence?

Em termos de duração, o procedimento de Due Diligence pode variar de três meses no caso de pequenos investimentos em PMEs, a anos no caso de grandes corporações envolvendo várias linhas de negócios e operações em múltiplas jurisdições.

Diligência devida de conformidade

Finalmente, é interessante abordar o Diligência devida de conformidadeDue Diligence, um tipo de Due Diligence proposto por Rodolfo Papa em Conformidade Sem Fronteirasque "se concentra na detecção de crimes que possam ter sido cometidos em nome, interesse ou benefício da empresa alvo (por si ou através de terceiros interpostos), antes da data em que a operação foi iniciada, bem como irregularidades ou vulnerabilidades de Compliance que poderiam ser ignoradas (negligentemente ou deliberadamente) por tal entidade, como não ter um programa de integridade adequado e eficaz, ou, ao contrário, ser simplesmente uma ferramenta cosmética".

Rodolfo Papa também comenta que: "uma Due Diligence de Conformidade ou due diligence anticorrupção, que é empreendida como parte do curso de uma transação de fusões e aquisições, deve, a fim de atender aos padrões de razoabilidade e eficiência, ser implementada antes e depois do fechamento da transação, a fim de detectar qualquer não conformidade (crimes ou vulnerabilidades que levem à sua comissão, conforme o caso), que possa ter sido realizada em seu nome ou em seu benefício, diretamente ou através de terceiros".

Sistemas de conformidade efetivos
Baixe nosso aplicativo

Artigos relacionados

Stakeholders e Compliance, sem cinzas.

Stakeholders e Compliance, sem cinzas.

Atualmente, o negócio é a gestão de risco, ou seja, o produto e a qualidade do produto não estão mais em discussão. Ninguém vai ...

15.11.2022
-
Leia o artigo
O que é KYC (Know Your Customer) e como se relaciona com a AML?

O que é KYC (Know Your Customer) e como se relaciona com a AML?

Os conceitos de KYC (Know Your Customer) e AML (Anti Money Laundering) estão intimamente relacionados. Se você conseguir combinar KYC e AML, acrescente...

1.3.2023
-
Leia o artigo
 O Terceiro Partido e a "Russofobia".

O Terceiro Partido e a "Russofobia".

A reputação, o rescaldo de toda esta guerra, veremos ao longo do tempo. Hoje, temos que analisá-lo muito rapidamente: a venda da ação

15.11.2022
-
Leia o artigo

Inscreva-se

Assine a nossa newsletter

Não me interressa